sexta-feira, maio 27, 2005

Anorexia Nervosa
http://www.fathersforlife.org/images/skeleton7.jpg">A anorexia nervosa é um distúrbio psiquiátrico caracterizada por uma redução da ingestão de alimentos devido à uma ansiedade profunda quanto ao ganho de peso. Pessoas com Anorexia Nervosa tendem a se exercitar exageradamente e apresentam padrões bastante peculiares na prepa~ração da sua comida.

segunda-feira, abril 11, 2005

Estudo salienta envolvimento genético na dependência à nicotina


Geneticistas de comportamento da Universidade de Colorado compararam a média diária de consumo de nicotina em camundongos. O co- autor Jerry Stitzel, PhD, e sua equipe descobriram que camundongos com o polimorfismo "treonina" (uma alteração para a sequência do DNA dos genes) num gene chamado de Chrna4 consumiam significativamente mais nicotina do que camundongos com um polimorfismo alanina no mesmo gene. Os autores acham que essa variação de treonina pode permitir que esses camundongos tolerem níveis maiores de nicotina antes de experimentarem efeitos colaterais negativos no sistema nervoso.
Chrna4 contém as instruções para construir uma proteína que é parte de um receptor que reconhece a acetilcolina, um neurotransmissor que desempenha um papel no sistema de satisfação do cérebro e também auxilia no aprendizado e na memória, sono, controle do movimento muscular, índice cardíaco, pressão sangüínea e mais. Como a nicotina é muito similar quimicamente a acetilcolina, ela se liga aos mesmos receptores, incluindo aqueles com a proteína feita do Chrna4. Deste modo, o sistema nervoso responde à nicotina como se ela fosse acetilcolina.
Os autores concluem que variações naturais no Chrna4 podem, pela variação de como os receptores de nicotina trabalham, resultar numa variação, de animal para animal, da tolerância à nicotina. Isso pode explicar porque em humanos (o gene é encontrado essencialmente em todos os animais), polimorfismos de Chrna4 estão associados com a dependência à nicotina. Pessoas com certas variações no gene podem estar aptas a tolerar mais nicotina antes de ficarem doentes e como resultado fumar mais. A nicotina é um inseticida natural encontrada apenas no tabaco. Como outros inseticidas, ela é extremamente tóxica para humanos.
Entender como os genes mudam os receptores de nicotina pode fornecer tratamentos melhores. Stitzel diz, "Nenhum gene sozinho será o determinante exclusivo de que alguém se tornará dependente à nicotina ou qualquer outra substância, porque a dependência provavelmente é devida aos efeitos de muitos genes assim como fatores sociais e ambientais".
No entanto, ele adiciona: "Identificando genes que contribuem para que um indivíduo se torne um adicto, nós ganharemos conhecimentos importantes sobre a biologia da dependência. Com isso, nós estaremos numa posição muito melhor para desenvolver tratamentos mais efetivos para adicção. Esse caminho pode também levar a tratamentos específicos para o 'perfil genético' do fumante".
Os autores determinaram semelhantemente que Chrna4 não regula diretamente o consumo de álcool porque remoção do Chrnb2, um gene cuja proteína se associa com a proteína Chrna4, não afeta a relação entre Chrna4 e consumo de álcool. Por essa razão, Chrna4 pode estar associado com o consumo alcóolico através de ligação com um gene ainda não determinado que regule o consumo de álcoo. Stitzel conclui que, "Genes comuns provavelmente desempenham um papel na forte relação entre consumo de nicotina e etanol, que em humanos significa fumar e beber."

http://emedix.com.br/not/not2005/05mar06psi-bn-sug-comportamento.php

Fonte: Behavioral Neuroscience

Autismo


Durante muito tempo pensou-se que o isolamento dos autistas era consciente e intencional mas hoje sabe-se que o autismo é uma anomalia mental. A causa do autismo ainda não é conhecida. No entanto há casos relacionados com a fenilcetenúria (carência hereditária de determinadas enzimas), encefalite (infecção do cérebro e espinal medula), perturbações cromossómicas e infecções virais como rubéola congénita.
Estudos realizados com gémeos indicam que a perturbação pode ter, em parte, origem genética. Se um deles for autista há forte probabilidade de o outro também vir a ser.
Actualmente, o autismo afecta dez mil crianças em idade escolar e é, três a quatro vezes, mais frequente nos rapazes.
Os autistas recolhem-se dentro de si próprios. Deixam de responder a estímulos exteriores como o convívio com outras pessoas. Possui vários sintomas como:
- dificuldade em conviver com outras crianças
- resistência a alterações na rotina
- atitudes risonhas desajustadas
- não revelar medo pelos perigos
- pouco ou nenhum contacto visual
- brincar sozinho
- atitude desinteressada
- repetir palavras e frases (ecolália)
- fazer girar objectos
- resistir a ser acarinhado ou a acarinhar
- aparente insensibilidade à dor
- comportar-se como se fosse surdo
- apontar ou usar gestos em vez de palavras
- hiperactividade ou inactividade
- fazer birras sem razão aparente
- indiferença aos métodos normais de ensino
A criança com este problema revela pelo memos metade destas características.
Nos Estados Unidos da América foi efectuado um estudo sobre o autismo que demonstrou que através da medição do perimetro encefálico dos bebés se pode suspeitar com antecedência de casos de autismo. O cérebro das crianças autistas desenvolvem-se anormalmente mais depressa nos primeiros anos de vida.
É muito importante que os pais tomem a iniciativa de contar os seus receios ao médico numa fase inicial do desenvolvimento do autismo na medida em que o diagnóstico precoce é essencial a uma melhor recuperação. Esta anomalia não tem cura mas através de uma educação adaptada às necessidades de cada indivíduo pode-se melhorar a qualidade de vida destas crianças e integrá-las na vida social.

Esquizofrenia: Sintomas comuns são frequentemente negligenciados pelos médicos
O tratamento de esquizofrenia está basicamente focado no controle de sintomas positivos, como alucinações e ilusões, enquanto outro grupo de sintomas que é igualmente importante para os pacientes é frequentemente negligenciado pelos clínicos.
O tratamento abrangente de todos os sintomas da esquizofrenia é possível e muitas pessoas com a doença podem se recuperar de uma forma que antes era inimaginável, de acordo com painel com psiquiatras e psicólogos reconhecidos nacionalmente. As recomendações foram publicadas num suplemento do CNS Spectruns e Primary Psychiatry.
"Tradicionalmente, os médicos são orientados a tratar a esquizofrenia de modo a prevenir a manifestação dos sintomas, ao invés de ajudar a pessoa a melhorar além do seu estado atual", disse Peter J. Weiden, MD. "Mas nós sabemos agora que adotando um foco de longo prazo e lidando com uma variação extensa de sintomas, muitos pacientes melhoram continuamente de modo que podem viver melhor."
Embora medicações para tratar os sintomas positivos de esquizofrenia (como alucinações, ilusões e desorganização) exista desde a metade do século 20, medicações mais novas introduzidas no começo da década de 90, conhecida como antipsicóticos atípicos, controlam também os sintomas frequentemente negligenciados de depressão, pensamentos suicidas e problemas em se lembrar ou se concentrar (sintomas afetivos e cognitivos). Por agora, "lidar com prejuízos afetivos e cognitivos ainda não se tornou importante no horizonte clínico", de acordo com Nina R. Schooler, PhD.
O suplemento, intitulado de Optimizing Treatment of Schizophrenia: Enhancing Affective/Cognitive and Depressive Functioning, inclui uma discussão dos resultados da Harris Interactive®, uma pesquisa nacional com pessoas com esquizofrenia, que ilustra claramente o problema.
65% relataram que seus médicos, quando tomam decisões de tratamento, colocam uma grande importância nos sintomas positivos enquanto apenas 37% sentem os seus médicos a colocar uma grande importância nos sintomas cognitivos.
Entre esses que tomam antipsicóticos, 77% dizem que sua medicação não ajuda adequadamente na capacidade de focar e se concentrar.
Entre esses que tomam antipsicóticos, a maioria (74%) também sente que sua medicação atual não consegue controlar a depressão enquanto 49% de todos os respondentes disseram que os seus médicos deram uma grande importância na depressão quando tomam decisões de tratamento.
Não obstante, os pacientes relataram que é tão importante controlar sintomas afetivos e cognitivos como a depressão (77%), problemas em realizar as atividades diárias (85%), e incapacidade de foco/concentração(81%), quanto é importante controlar alucinações e ilusões (84%).
"O malogro em controlar os sintomas emocionais e cognitivos da doença é uma das maiores barreiras que atualmente impede os pacientes de alcançar uma recuperação social e ocupacional significativa", disse Philip D. Harvey, PhD. "Nós acreditamos que é importante para os médicos olharem além do controle de sintomas positivos e considerar os benefícios emocionais/cognitivos de medicações para ajudarem os pacientes a alcançarem a recuperação funcional".
O levantamento descobriu que quase todos com esquizofrenia (94%) acreditam que o funcionamento diário é parte do tratamento bem sucedido para esquizofrenia e a maioria (83%) acredita que com as medicações corretas, pessoas com esquizofrenia podem estar aptas a viverem plenamente.
Fonte: CNS Spectruns

Ministério da Saúde seleciona voluntários para estudo com células-tronco

Portadores de doenças como enfarte agudo do miocárdio, isquemia crônica, miocardiopatia dilatada e doença de Chagas já podem se inscrever para a seleção de voluntários que participarão do Estudo Nacional de Células-Tronco. O estudo, que começará este mês, será patrocinado pelo Ministério da Saúde e coordenado pelo Instituto Nacional de Cardiologia Laranjeiras (INCL), Rio de Janeiro.
Ao todo, 1.200 pacientes participarão do estudo. Dentre os candidatos inscritos e com condições para receber o tratamento, serão sorteados 300 pacientes para cada uma das quatro doenças cardíacas, que receberão tratamento em um dos 33 centros participantes do estudo, localizados em dez estados e no Distrito Federal.
"Em cada grupo, metade dos pacientes receberá tratamento convencional, e os demais, além do tratamento convencional, implante de células-tronco", explica Dr. Antônio Carlos Campos de Carvalho, Coordenador de Ensino e Pesquisa do INCL. Além do Instituto, a pesquisa nacional terá a colaboração de hospitais como Incor (São Paulo), Santa Izabel (Bahia), e Pró-Cardíaco, em parceria com a UFRJ.
Para que o aspecto psicológico não interfira nos resultados, a divisão dos grupos será feita por sorteio, isto é, médicos e pacientes não saberão quem vai receber o implante. No final do período, todo o grupo será comparado e os resultados serão divulgados num prazo máximo de três anos. Com a eficácia de terapia confirmada, o tratamento de cardiopatias com células-tronco deverá ser implementado no Sistema Único de Saúde (SUS).
Como participar:
Para participar do estudo, os pacientes devem ser portadores de um das seguinte cardiopatias: enfarte agudo do miocárdio, isquemia crônica, miocardiopatia dilatada e doença de Chagas. Para se candidatar ao estudo, os interessados podem se cadastrar por meio da Internet no endereço:
Fonte: Ministério da Saúde

quarta-feira, abril 06, 2005


Os cereais não engordam



Numa sociedade cada vez mais marcada por um conceito de beleza associado à magreza, tem-se assistido a uma diminuição do consumo de cereais e derivados, tais como arroz, massa e pão. Na verdade a maioria dos consumidores acredita que os cereais fazem engordar e diminuem o seu consumo com vista a emagrecer.
Na realidade as gorduras engordam mais do que qualquer outro nutriente mas os cereais são pobres em gorduras e ricos em hidratos de carbono.
Além disso, os cereais possuem várias qualidades:
- são uma fonte de vitaminas E e complexo B;
- são alimentos energáticos, com mais de 70% de amido, de absorção lenta;
- são ricos em fibras hidrossolúveis que aceleram o transito intestinal e favorecem as contracções intestinais evitando a obstipação, hemorróidas ou síndroma do cólon irritável;
- contêm fibras que permitem reduzir a taxa de mau colesterol (LDL), responsável por grande parte dos problemas cardiovasculares.
Assim, devido aos beneficios que podem trazer para a nossa saúde, os cereais não devem ser banidos da dieta alimentar mas sim consumidos em quantidades adequadas para uma alimentação saudável.

segunda-feira, abril 04, 2005

Menos sal, pela sua saúde


O consumo excessivo de sal contribui para o aparecimento de doenças cardiovasculares. Portugal é o país europeu onde se consome mais sal e consequentemente o país onde a mortalidade por enfarte é a mais elevada.
Cada português consome, em média, 18 gramas de sal por dia, sendo 12 gramas a média europeia. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que crianças entre os 7 e os 12 meses não deverão ingerir mais de 1 grama de sal por dia; entre 1 e 6 anos, 2 ou 3 gramas; dos 7 aos 10 anos, 5 gramas; e a partir dos 11 anos, 6 gramas.
A solução passa, portanto, pela redução da ingestão de sal de modo a prevenir o aparecimento de doenças cardiovasculares e manter o organismo saudável.

terça-feira, março 29, 2005

Uma nova doença alimentar


Chama-se ortodexia e é descrita como a obsessão por alimentos biológicamente puros. Segundo os especialistas em nutrição está a aumentar o número de pessoas com este distúrbio alimentar, que se juntam à anorexia e bulimia.
Esta perturbação caracteriza-se pela procura e consumo de alimentos sem componentes que possam prejudicar a saúde, uma obsessão que acaba por ser ela própria prejudicial, na medida em que essa preocupação extrema pode originar carência de nutrientes fundamentais a uma dieta equilibrada. Durante as XII Jornadas de Pediatria em Évora referiu-se que não existem maus alimentos mas sim más dietas. A solução deve passar, sobretudo, por alterar comportamentos.

Atenção à tensão alta


Foi apresentado recentemente no Porto o primeiro estudo nacional contra a prevalência da hipertensão arterial. Este estudo abrangeu 5o23 pessoas de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 18 e os 90 anos. Revelou que 43% dos portugueses são hipertensos, dos quais 39% estão a ser tratados e apenas 11% estão com valores controlados.
A prevalência é superior no sexo masculino e localiza-se mais na zona do Alentejo do que no Norte do país.
A hipertensão arterial é a elevação da pressão sanguínea acima de 140/90 mmHg e pode causar lesões cerebrias, cardiovasculares, renais e oftálmicas. É responsável pelos acidentes vasculares cerebrais, as chamadas "tromboses", de que Portugal é o país mais afectado.
Aqui fica um conselho: Pela sua saúde, vigie a sua tensão arterial!

Andamos a dormir mal


A associação de defesa dos direiros do consumidor (DECO), realizou um estudo concluindo que 47% dos portugueses dorme mal, apenas 19% têm consciência disso e só uma pequena percentagem recorre ao médico para solucionar o problema. O inquérito revelou também que 56% dos portugueses sofrem de sonolência diurna reconhecendo que é possível adormecerem ao volante.
Aos que dormem mal juntam-se os 59% que dormem pouco, sendo que 16% acordam já cansados.
Coloca-se a questão "Porque dormem mal os portugueses?" e chegou-se à conclusão que o stress e a ansiedade são o problema de 55% dos indivíduos, seguidos de problemas no trabalho e problemas familiares.
Um em cada dez inquiridos admitiu tomar, por iniciativa própria, comprimidos para dormir, num total de 16% que necessitam de ajuda farmacológica para conciliar o sono.

sexta-feira, março 18, 2005

A IMPORTÂNCIA DO LEITE MATERNO
O leite materno é secretado pela glândula mamária e é o alimento mais importante do recem-nascido e pode ser usado em crianças já crescidas também.
Esse leite possui muitas propriedades nutritivas, contendo aminoácidos, gorduras, açúcares, vitaminas e sais minerais. A quantidade diária de leite aconselhável para as crianças mais crescidas é de 0.5 litro entre 4 e 7 anos e de 0,75 litro entre 8 e 12 anos.
Essas quantidades contém cerca de um terço das proteínas requeridas pela criança, três quartos do cálcio e mais de três quartos das vitaminas. Além disso, o leite contém as vitaminas A e D, e uma certa quantidade de vitamina B.

(Fonte: Grande Enciclopédia Médica)

Herpes é o beijo do sapo

Como dizem as avós para as meninas “beijou o sapo e pegou sapinho!”. Sapinho é um termo bem infantil para estas feridas, que tanto incomodam o ego de meninos e meninas quando adolescentes.
Ela é uma ferida na pele de origem viral caracterizada pela erupção de vesículas transparentes. Esta lesão geralmente manifesta-se pelo aparecimento de grupos de pequenas vesículas nos lábios, embora também possam ocorrer no nariz, face, orelhas e genitais.
Os pontos lesados produzem um líquido que forma uma crosta; algumas vezes esta desprende-se. Também pode ocorrer inflamação dos gânglios linfáticos próximos aos pontos afetados; frequentemente o vírus ataca as mucosas, sem consequências patológicas.
Se tiver herpes, não entre em pânico. Não há como fugir, mas sim tratá-la com produtos adequados recomendados por dermatologistas. Procurar beijar príncipes em vez de sapos também ajuda...

(Fonte: Grande Enciclopédia Médica)

terça-feira, março 15, 2005

Colheita de sangue do cordão umbilical
O Cordão umbilical garante a saúde do bébe no futuro.


.

1) O que é o sangue de cordão umbilical?
É o sangue que permanece no cordão umbilical do bebé e na placenta na hora do nascimento. Este sangue contém todas as células sanguíneas, inclusive aquelas denominadas “Células-Tronco” provenientes do feto que também são conhecidas como “Stem Cells”. Estas células-tronco são “células mães essenciais” que podem, potencialmente, gerar quaisquer tecidos do organismo.

2) O que acontece, normalmente, com este sangue após o nascimento do bébe? O sangue contido no cordão umbilical e na placenta, rico em células tronco, é normalmente, descartado após o parto.

3) Por que guardar o sangue de cordão umbilical do seu filho é tão importante? Já é possível congelar as células do sangue do cordão umbilical de bebé logo após o nascimento. O material coletado na hora do parto é levado para um laboratório e congelado para ser armazenado por décadas. No futuro este material pode ser utilizado para o tratamento de várias doenças. O sangue que seria deitado fora pode ser, um dia, usado para salvar a vida ou a saúde de seu filho.

4) Como as células tronco do cordão umbilical podem ser utilizadas hoje? As células tronco obtidas do sangue do cordão umbilical podem ser utilizadas nas terapias para doenças em que é indicado o transplante de medula óssea. Isto pode ocorrer no tratamento de doenças como: leucemias, linfomas, mielomas, entre outras.

5) Como as células tronco do sangue de cordão umbilical poderão ser utilizadas no futuro? A utilização das células tronco tendem a expandir já que as pesquisas neste segmento estão em desenvolvimento em todo o mundo. Estas pesquisas já demonstram a capacidade das células tronco em se diferenciarem em tecido cardíaco, nervoso, ossos e cartilagem, podendo, nestes casos, serem utilizadas para o tratamento de enfarte cardíaco, mal de Parkinson, regeneração de ossos e cartilagens, etc.

6) Como e quando o sangue de cordão umbilical deve ser colhido? O sangue deve ser colhido do cordão umbilical, imediatamente após o nascimento do bebé, preferencialmente com a placenta ainda no útero. Não há nenhuma interferência com os procedimentos médicos habituais do parto, seja cirúrgico (cesariana) ou normal (natural). O cordão umbilical é clampado, cortado e após a retirada do bebé o sangue é espontaneamente drenado para o kit de colheita.